ACIDENTES DE TRÂNSITO: SAIBA COMO AGIR PARA RESGUARDAR SEUS DIREITOS

No cotidiano forense são inúmeros os casos nos quais a parte acaba sendo vencida por falta de prévia e adequada orientação. Devemos ter sempre em mente que os juízes não são seres oniscientes e precisam de provas convincentes para decidir as questões. Não basta dizer a verdade, temos sempre que PROVAR a verdade.

Não raro, quando a parte resolve procurar um advogado, a oportunidade para conseguir as provas necessárias já passou ou, pior ainda, a parte não se esforça para conseguir as provas solicitadas por seu advogado.

Tenha sempre em mente que o advogado é o profissional técnico qualificado para defender seus direitos e, portanto, tem o conhecimento necessário para escolher a melhor tese de defesa ou ataque e, ainda, para definir quais provas devem ser produzidas. Portanto, não meça esforços para conseguir todos os elementos de prova que seu advogado solicitar, sejam eles documentos, testemunhas e outros. O sucesso de sua causa depende principalmente das provas que você consegue produzir.

Dentre os inúmeros tipos de causas que dependem da produção de provas convincentes, destacamos as que envolvem acidentes de trânsito. As medidas e precauções devem ser adotadas logo após o acidente, obviamente se a parte envolvida tiver condições de fazê-lo.

Inicialmente, peça ao outro condutor que lhe mostre sua habilitação e os documentos do carro. Assim você já poderá avaliar a pré-disposição de fazer um acordo.

A conciliação é sempre a melhor forma de resolução dos conflitos. Assim, ao invés de tentar tirar proveito da situação, se esforce para fazer um acordo e resolver pacificamente a questão. Acredite, com essa postura ninguém sai perdendo.

Anote o nome completo do condutor, seu telefone e endereço. Anote também a placa do carro, modelo e cor e, se conseguir, o número do chassi e renavam.

Olhe em volta e procure por pessoas que tenham visto o acidente. Pergunte se elas testemunhariam o que viram. Em caso afirmativo, anote nomes, telefones e endereços para posterior contato. Seus amigos e parentes não podem ser testemunhas e tenha sempre em mente que testemunha boa e válida é aquela que realmente viu o acidente. Aquela pessoa que simplesmente “ouvir falar” ou “acha isso ou aquilo” não serve.

Atualmente temos uma enorme gama de aparelhos celulares com câmeras e por pior que seja a qualidade da imagem, tire fotos do local do acidente e das avarias em seu veículo. Uma imagem vale mais do que mil testemunhas. Se você não possuir uma câmera fotográfica no momento, pergunte se algum dos curiosos tem e peça que ele tire as fotos e anote nome e telefone para que possa obtê-las depois.

Quando a autoridade policial chegar, descreva minuciosamente como tudo aconteceu e, se o local for desfeito para não atrapalhar o trânsito, se esforce para descrever com detalhes a situação real em que os veículos se encontravam. Este passo é muito importante, pois o croqui integrará o boletim de ocorrência, que pode ser decisivo.

Se você for o culpado pelo acidente, não seja intransigente e tente, a todo custo, fazer um acordo e ressarcir os prejuízos que causou ao outro condutor. Certamente, se você não agir assim e deixar que a outra parte mova uma ação judicial, seu dispêndio financeiro será bem maior, pois englobará honorários de advogado, custas e despesas processuais e, eventualmente, danos morais, lucros cessantes e depreciação do veículo abalroado.

Agindo desta maneira as suas chances de sucesso em eventual litígio aumentam sensivelmente.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *